domingo, 28 de março de 2010

Corpo é encontrado embaixo da alça de acesso ao túnel Antonieta de Barros em Florianópolis

1 comentários
Vítima é um homem negro, e corpo apresenta sinais de violência

O corpo de um homem ainda não identificado foi encontrado por volta das 20h desta sexta-feira embaixo da alça de acesso ao túnel Antonieta de Barros, que dá acesso ao Sul da Ilha de Santa Catarina, em Florianópolis. De acordo com a Polícia Militar (PM), ainda não foi possível apurar a causa da morte, mas há sinais de violência.

A vítima é negra e deve ser encaminhada para o Instituto Médico Legal (IML) assim que a polícia terminar os procedimentos no local. Conforme a PM a área onde o corpo foi encontrado é comumente utilizada por usuários de crack.
Fonte: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&section=Geral&newsID=a2853104.xml

quinta-feira, 25 de março de 2010

O preço de uma vida: Soldado X coronel

8 comentários


Esse é o verdadeiro salário de um soldado da Polícia Militar. Sem a maquiagem que o governo Estadual aplica, repassando mentiras para a população. Se retirarmos o valor correspondente a empréstimo, temos exatos R$1371,82.


Desafio qualquer coronel a postar aqui seu contra-cheque. Duvido que apareça valor 10 vezes menor que este acima citado!


Senhores, se o estado trata assim os policiais que fazer a segurança da sociedade catarinense, qual será o reflexo deste para a sociedade?


Qual o preço da sua vida caro leitor? Não tem preço não é mesmo?!? A de um policial militar está aí estampada.


Justiça Salarial, para um bom atendimento ao povo catarinense!

Disparidade Salarial: PMBA (Bahia) e PMSE (Sergipe)

3 comentários

Nota do Blog
Uma coisa não consigo entender: Se lá no nordeste, que é tido como uma região pobre, temos um salário se não digno, mas ao menos satisfatório, como é o caso de Sergipe, porque aqui em Santa Catarina é diferente, tal qual na Bahia? Será por incompetência dos governadores ou uma afronta aos servidores públicos? Acho que no caso de SC, podemos ficar com as duas opções, e elencar mais uma lista com 100 itens.

Homem é assassinado na comunidade Chico Mendes em Florianópolis

0 comentários
Pelo menos um dos disparos atingiu a cabeça da vítima
Um homem identificado por moradores como Adriano Gomes foi assassinado na noite desta terça-feira na comunidade Chico Mendes, área continental de Florianópolis. Populares ouviram algumas disparos por volta das 22h e pelo menos um deles atingiu a cabeça da vítima.

O crime teria acontecido na esquina das ruas Elesbão Pinto da Luz com a Josué de Bernardi. De acordo com a polícia, o caroneiro de uma motocicleta seria o autor dos disparos.

A vítima carregava cinco pedras de crack, um cachimbo e um isqueiro, por isso o crime pode ter relação com o tráfico de drogas. Adriano não portava documentos e, segundo moradores, não tinha emprego fixo.
Fonte: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18§ion=Geral&newsID=a2849666.xml

Nota do blog: Este site já havia avisado anteriormente o aumento do número de homicídios, devido a guerra no tráfico entre traficantes na comunidade Chico Mendes. http://sos-seguranca.blogspot.com/2010/03/declarada-guerraentra-gangues-na-chico.html

Casal é flagrado com 100 quilos de maconha na BR-101 em Porto Belo

0 comentários
Polícia descobriu carregamento da droga depois de receber denúncia anônima
Um casal foi flagrado com aproximadamente 100 quilos de maconha em um carro abordado por policiais militares na BR-101 em Porto Belo, no Litoral Norte de Santa Catarina, por volta das 23h30min dessa terça-feira.

A droga estava escondida sob o forro das portas e bancos e para-choques do veículo, um Gol com placas de Boa Vista do Incra (RS).

O entorpecente foi descoberto depois que militares de Biguaçu receberam denúncia anônima que informava que o automóvel dos suspeitos estaria trazendo um carregamento de maconha vindo do Mato Grosso do Sul.

Os suspeitos foram abordados às margens da rodovia e trazidos, com o carro, para o batalhão da PM em Biguaçu.

O casal, um homem de 41 anos e uma mulher de 47 anos, foi preso em flagrante e encaminhado à delegacia de polícia. Ambos residem em Biguaçu e já têm passagens criminais, de acordo com a Polícia Militar (PM).

Segundo o delegado Valter Rodrigues, a droga seria entregue para uma terceira pessoa, ainda não identificada.

Mais droga

Esta foi a segunda grande apreensão de maconha na BR-101 em uma semana. No dia 18, outro casal, um homem de 27 anos, e uma mulher de 21, foi preso transportando 100 quilos da droga num automóvel Santana, também na BR-101, em Biguaçu.

Os suspeitos estavam acompanhados do filho, de um ano de idade. A polícia fez a apreensão depois de receber uma denúncia anônima.
Fonte: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18§ion=Geral&newsID=a2849840.xml

Dupla armada assalta posto de gasolina em Rio do Sul

0 comentários
Ladrões fugiram com dinheiro de cinco pessoas que estavam no estabelecimento
O Posto Felipe, localizado às margens da BR-470 em Rio do Sul, foi assaltado nesta terça-feira à noite. De acordo com informações da Polícia Militar, dois homens armados e encapuzados chegaram ao estabelecimento em um motocicleta e anunciaram o assalto.

Cinco pessoas estavam no posto no momento do crime. Todas as vítimas foram revistadas e tiveram o dinheiro roubado. No total, os ladrões fugiram com R$ 2,3 mil em dinheiro. O roubo ocorreu às 21h. Ninguém foi preso até o momento.
Fonte: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18§ion=Geral&newsID=a2849862.xml

Clima de tensão faz direção do São Lucas acionar oficiais do Bope em São José

1 comentários
Agitação após a fuga de 13 jovens teria sido causada por saída da diretora da instituição
Dois dias após a fuga de 13 adolescentes do Centro Educacional São Lucas, em São José, é tenso o clima entre os 77 internos que restaram na unidade. Nesta quarta-feira, oficiais do Bope foram chamados para fazer a segurança da unidade enquanto os jovens eram recolhidos em seus alojamentos.

Era por volta das 17h e a agitação fez a direção da unidade, na Grande Florianópolis, acionar o pelotão especial da Polícia Militar. Não houve tentativa de fuga e nenhum outro conflito.

O motivo para o clima entre os internos seria a saída já anunciada da atual gerente da unidade, Margarete Sandrini. Ela deixa o cargo na próxima quarta-feira, dia 31, e o Departamento de Justiça e Cidadania (Djuc)do Estado ainda não sabe quem ocupará a vaga.

O diretor do DJuc, Itamar Boneli, disse que o departamento está em busca de um pessoa com perfil mais disciplinador, mas que respeite os direitos dos adolescentes.

Em entrevista ao Diário Catarinense, Margarete Sandrini, afirmou que houve falha dos monitores durante a fuga da noite de segunda-feira. Os adolescentes abriram buracos em duas paredes e teriam sido resgatados por três carros que os aguardavam.
Fonte: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18§ion=Geral&newsID=a2850065.xml

quarta-feira, 24 de março de 2010

Penitenciária de Chapecó precisa de mais de 50 novos agentes até junho

4 comentários
Penitenciária de Chapecó precisa de mais de 50 novos agentes até junho



Chapecó - A Comissão de Segurança Pública e Cidadania da Câmara de Vereadores de Chapecó, presidida por Itamar Agnoletto e que tem os membros Marcelino Chiarello e Ivaldo Pizzinatto, fez ontem uma prestação de contas à imprensa sobre os problemas diagnosticados na Penitenciária de Chapecó, depois de dupla fuga no sistema de segurança máxima. Também relataram os encaminhamentos em Florianópolis.

Falta de pessoal para trabalhar e infra-estrutura precária, além da superlotação foram situações expostas ao Secretário de Segurança Pública Ronaldo Benedet e ao Secretário Executivo Justiniano Pedroso. Benedet, por exemplo, desconhecia que em Chapecó até a fuga apenas três policiais militares trabalhavam por plantão, contra uma necessidade de pelo menos 15 como era anteriormente. Além disso, são 13 agentes por plantão (quatro plantões ao todo), quando o ideal seria 35

De acordo com Itamar Agnoletto – ele também é agente prisional há 23 anos - as necessidades apontadas foram acatadas pelos dois secretários que passarão a atender, no entanto sem prazo estabelecido ainda. Uma questão urgente é que deverão ser chamadas 52 pessoas que passaram em concurso de agente, já que o prazo termina em junho. Esses apenas substituirão igual número de agentes que estão se aposentando no Estado e se não forem chamados até o prazo, cai ainda mais o número de servidores nas instituições penais. “A nossa necessidade inicial é 52, para substituir os aposentados, porém precisamos de mais para melhorar as condições da Penitenciária”, afirma Agnoletto.

Marcelino Chiarello anunciou que engenheiros farão avaliação da estrutura da penitenciária, muito deficitária. O CREA em Chapecó tem esse pedido há mais de 2 anos, mas o Estado fará essa avaliação. Ele denuncia ainda que o atual sistema em Chapecó, não recupera ninguém, e que, no município, já está se enraizando O PCE – Primeiro Comando do Estado – uma espécie de PCC que age dentro das penitenciárias. Em Chapecó, como nas demais, os familiares se instalaram e a ação pode ocorrer interna e externamente.

http://www.vozdooeste.com.br/?pg=pg_not&id=2801

Cinco quilos de crack e arma de fogo são apreendidos em Balneário Camboriú

0 comentários

Cinco quilos de crack e arma de fogo são apreendidos em Balneário Camboriú

Seis pessoas, entre elas três adolescentes, foram detidas na ação da PM

Cinco quilos de crack e uma arma de fogo foram apreendidos pela Polícia Militar (PM) em Balneário Camboriú, no Litoral Norte de Santa Catarina, na noite de terça-feira. Seis pessoas foram detidas na operação, entre elas três adolescentes.

Por volta das 19h20min, uma viatura que fazia ronda pelo bairro Monte Alegre abordou um Fiat Palio de cor cinza, com placas de Joinville, ocupado por dois casais, sendo um homem maior de idade e três adolescentes.

Na hora da abordagem, o celular do motorista tocou: era uma negociação de drogas. Momentos depois, o suspeito que havia ligado foi até o local acompanhado da mulher, em um Gol prata, com placas de Balneário Camboriú.

Foram realizadas buscas no segundo veículo e encontrado, no porta objetos, um embrulho com aproximadamente 50 gramas de crack. Segundo a polícia, o dono do Gol ainda confessou guardar uma maior quantidade da droga em casa.

Os policiais foram até a residência do suspeito, na rua Angelina, no bairro dos Municípios, onde encontraram pouco mais de cinco quilos de crack e um revólver calibre 32 no quarto do casal. Foi apreendida ainda uma balança de precisão, telefones celulares e uma quantia não divulgada em dinheiro.

Os três adultos foram conduzidos à delegacia de polícia, junto com o material apreendido. Os adolescentes foram encaminhados à delegacia do menor.

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&section=Geral&newsID=a2849937.xml


Nota do blog: Se a PM conseguiu pegar 5 kilos, quantos ainda restam por aí?

terça-feira, 23 de março de 2010

A Farra das Diárias Militares

18 comentários

A cúpula da Polícia Militar, responsável pela saga de perseguições, humilhações, prisões arbitrárias e exclusão de policiais militares, mais uma vez demonstra o duplo objetivo para a qual foi designada pelo Governador LHS: Punir os praças e encher o bolso com o dinheiro público.

Em documento exclusivo, a APRASC denuncia esta situação, onde um coronel chega a ganhar por ano em diárias, aquilo que um soldado ganha em um ano inteiro de trabalho, suado, com muitas horas extras. Abaixo, a tabela com valores e respectivos nomes, computadas apenas as diárias da PMSC (não estão computadas as diárias do SENASP).

Relatório de Recebimento de Diárias Militares

Nome

Função

Ano 2007

Ano 2008

Ano 2009

Soma

Eliésio Roidrigues

CMT Geral

R$16.005,00

R$ 15.460,00

R$ 17.665,00

R$ 49.130,00

Luiz da Silva Maciel

Sub CMT

R$ 13.710,00

R$ 18.994,00

R$ 19.879,00

R$ 52.583,00

Celso Dorian de Oliveira

Chefe EM

R$ 14.080,00

R$ 20.400,00

R$ 23.140,00

R$ 57.620,00

Soma

R$ 43.795,00

R$ 54.854,00

R$ 60.684,00

R$ 159.333,00

Fonte: Diário Oficial do Estado - DALF

Este comando é o mesmo que remeteu ao governo um projeto de “valorização” profissional, que de valorização não tem nada, pois o soldado teve um aumento (se é que pode-se chamar de aumento) de R$74,00, enquanto um coronel teve ganhos superiores a R$3.000,00!

Não contentes com essa discrepância salarial entre a base e a cúpula, os oficiais vem pressionando o governo com um projeto salarial, desta vez na forma de abono, pleiteando R$2.000,00 para os oficiais e somente R$250,00 para os praças.

Além disso tudo, os oficiais ainda contam com as promoções a “toque de caixa”, sendo promovidos em média a cada 5 anos, enquanto temos soldados com mais de 25 anos sem nenhuma promoção sequer.

Esta é a atual situação da segurança pública, que reflete no descontentamento geral da tropa e, por conseguinte, no aumento generalizado da criminalidade, na insegurança da população e o principal: a saúde e qualidade de vida pessoal e familiar prejudicada. Se não estamos em um caos ainda maior, é por extremo sacrifício dos praças.

Fuga de presos: O episódio continua, agora no Centro Educacional São Lucas.

0 comentários

Direção do Centro Educacional São Lucas, em São José, atualiza para 13 o número de foragidos

Fuga pode ter sido facilitada por omissão de monitores, aponta diretora da unidade

A direção do Centro Educacional São Lucas, em São José, na Grande Florianópolis, atualizou para 13 o número de jovens que deixaram a unidade na última fuga, registrada na noite de segunda-feira. A informação anterior era de que 12 jovens tinham escapado do São Lucas.

Para a diretora Margarete Sandrini, a fuga foi facilitada por um descuido da segurança. Dos dois monitores de plantão, um estaria fora do local e outro assistindo televisão no momento do incidente.

Antes de chegar à rua, os jovens quebraram duas paredes com uma marreta. Ainda não se sabe como os internos tiveram acesso à ferramenta.

— Houve toda essa movimentação e o monitor não viu nada - reclama Margarete.

Para fugir, os jovens abriram um buraco na parede de um dos quartos e outro no muro que delimita o terreno do São Lucas, nos fundos do prédio. Quando saíam para a rua, foram avistados pelo vigilante que faz a segurança externa.

— Ele chegou a ligar para o monitor de plantão e avisou que os adolescentes estavam fugindo, mas o servidor disse que estava tudo bem, todos nos quartos — garante.

Margarete não quis dar detalhes sobre os motivos das internações dos jovens que escaparam. Ela apenas confirmou que todos teriam envolvimento com o tráfico de drogas.

A Polícia Militar (PM) faz buscas pelos adolescentes foragidos desde instantes após a fuga. Segundo testemunhas, três carros aguardavam os adolescentes do lado de fora da unidade.

Rotina

Margarete aponta falhas, por parte dos monitores, no cumprimento das determinações da direção. Todos os jovens deveriam estar trancados sozinhos, em cada quarto, às 18h — o que há indícios que não foi cumprido.

Segundo ela, os jovens daquela ala acordavam às 9h e tinham até as 9h30min para tomar banho e café. Em seguida, ficavam uma hora no pátio da instituição praticando esportes.

Em seguida, iam para o refeitório almoçar. Após o almoço, os garotos eram encaminhados para os quartos, onde permaneciam até as 14h.

Das 14h às 17h30min, eles tinham aulas. Após o término das aulas, eram encaminhados aos quartos.

Motivação

A fuga, conforme Margarete, seria motivada pela divulgação, na imprensa, da suposta exoneração dela. A notícia teria chegado aos internos, que estão apreensivos com a possibilidade da chegada de um novo diretor.

— Os adolescentes têm medo de repreensões e torturas. Foi só o tempo deles receberem essa notícia que iniciou a agitação — disse.

A dirigente do São Lucas confirmou que deixa o cargo nas próximas semanas, mas não informou qual será seu futuro. De acordo com Margarete, esta foi a maior fuga do São Lucas nos três anos em que está a frente da instituição.

Ela explica que, conforme um levantamento pessoal, os jovens que fogem do centro costumam voltar — recapturados ou espontaneamente — em até um mês.

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&section=Geral&newsID=a2847540.xml


Nota do blog: O que a Srª Margarete esqueceu de dizer é que, a omissão dos monitores ocorre pelo descaso que esta senhora vem tendo com relação às instalações e rotinas de trabalho no São Lucas. A fuga é mero resultado de um buraco gigantesco que existe há mais de 4 anos, no muro do Centro. Omissão? Não, isso é falta de profissionalismo e competência da Diretora.

FUGAS DE PRESOS TOMAM PROPORÇÕES ALARMANTES EM SANTA CATARINA

0 comentários

Fugas de presos tomam proporções alarmantes em Santa Catarina.

O atual Governo, capitaneado por LHS – PMDB, entrará para a história de Santa Catarina por conta de vários fatores, no entanto, na questão segurança pública, e no caso aqui, mais especificamente nos sistema prisional, o Governo e os seus, tem se sobressaído quando o quesito são os desleixos, a falta de gerenciamento e principalmente o abandono com que tem tratado todo setor e por conseguinte os servidores e a população.

Em uma simples pesquisa em jornais de circulação estadual, em um período não muito longo constata-se que as maiores fugas de presos da história de Santa Catarina foram registradas no Governo LHS, Ronaldo Benedet, e os seus escolhidos para gerenciar um setor de fundamental importância para a população como um todo. Vejamos algumas destas fugas:

Julho de 2008, centro de Triagem da Polícia Civil Florianópolis: 43 presos escaparam, na noite de domingo (13). Os detentos conseguiram escapar após dominarem o agente carcerário no momento em que ele abriu uma das celas para retirar o lixo. Em seguida, os presos, que faziam o carcereiro refém, tomaram três armas da unidade.

Setembro de 2008, carceragem da central de policia em São José: 26 presos fugiram da carceragem da Central de Polícia de São José, na Grande Florianópolis. Eles escaparam por um buraco de cerca de 40 centímetros de diâmetro feito na parede do corredor que existe entre as duas celas da unidade.

Novembro de 2008, presídio regional de Joinville: 40 detentos conseguiram escapar por um túnel que ligava uma das galerias até matagal localizado aos fundos do presídio. Em outubro de 2003, outros 43 presos já haviam fugido do Presídio Regional de Joinville.

Fevereiro de 2009, O sistema prisional de Santa Catarina registrou, no domingo, a maior fuga da sua história, quando 70 detentos saíram pela porta da frente da Central de Triagem, em Florianópolis

Agosto de 2009, 22 detentos conseguiram escapar do Centro de Triagem de Florianópolis no início da manhã deste sábado, após serrarem grades das celas. Foi à terceira fuga em massa da unidade no período de um ano.

Outubro de 2009, presídio regional de Joinville: Uma rebelião no presídio de Joinville terminou com a morte de um detento e 9 presos acabaram fugindo.

Janeiro de 2010, 19 dias, 20 fugas: A média de fugas, em 2010 já ultrapassa mais de uma fuga por dia em 2010. Na Delegacia da Polícia Civil de Palhoça, 7 presos fugiram, após escava um túnel

Março de 2010, presídio de Jaraguá do Sul. 24 detentos fugiram do presídio de Jaraguá do Sul. O fato ocorreu no final da tarde de domingo 21 de março.

Enfim, esta é uma panorâmica da situação, ressalte-se que foram computadas aqui apenas algumas fugas, notadamente as maiores. Não foi realizada uma pesquisa mais apurada que considerasse também as fugas, onde o número fosse pequeno, pois se todas as fugas fossem consideradas, a constatação seria alarmante.


SOS SEGURANÇA PÚBLICA

segunda-feira, 22 de março de 2010

EM BUSCA DE UMA EXPLICAÇÃO

1 comentários
OPINIÃO DO SANTA

Em busca de explicação

É estarrecedora a constatação de que os dois últimos veículos enviados pela Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina para a Polícia Militar foram um Corsa e um Ducato, ambos no ano de 2002. Em outras palavras, os veículos mais modernos destinados pelo Estado aos policiais militares blumenauenses já contam com oito anos de uso. Pior ainda é constatar que no ano passado Joinville, por exemplo, recebeu 25 novas viaturas. Tamanha desigualdade, condenável sob todos os aspectos, nem sequer causa espanto, já que Blumenau habituou-se a sucessivas frustrações em sua expectativa de atenção estadual na área da segurança. O mais recente episódio foi a quebra da promessa de 30 novos policiais civis para a cidade – vieram apenas sete. Para suprir a falta de viaturas, o município é obrigado a lançar mão de recursos do Fundo Municipal de Segurança – responsável pelo financiamento de 26 carros para a PM nos últimos oito anos. Tal verba teria, por direito, outras destinações como a compra de armamentos os policiais. Mais do que nunca faz sentido a frase do presidente da Acib, Ronaldo Baumgarten Jr.: “O Estado nos abandonou”. Urge que o secretário de Segurança venha a público explicar as razões de tão escandaloso abandono.

http://www.clicrbs.com.br/jsc/sc/impressa/4,185,2845198,14341

Fogem 24 detentos do presídio de Jaraguá do Sul

0 comentários
Fogem 24 detentos do presídio de Jaraguá do Sul

PM pede cautela a moradores da região, pois presos são de alta periculosidade

A fuga de 24 detentos do presídio de Jaraguá do Sul fez com que a Polícia Militar montasse uma verdadeira operação de guerra para tentar recapturar os foragidos. O fato ocorreu no final da tarde deste domingo, por volta das 18h30min.

Segundo as primeiras informações da PM, os presos, armados de uma pistola e um revólver 38, renderam dois agentes penitenciários e os obrigaram a abrir o portão da frente da unidade prisional. O grupo então entrou na mata que circunda o presídio e, segundo testemunhas, seguiu em direção ao Rio da Luz.

— Isto fez com estabelecêssemos perímetros, mapeando possíveis rotas de fugas — comentou o tenente PM Marcio Alberto Felipe.

Os policiais montaram barreiras nas localidades Rio da Luz, Ouro Verde, Garibaldi, Jaraguazinho, Jaraguá 99, Miranda e Parque Malwee.

— A orientação é para que os policiais não entrem na mata. Vamos tentar ganhar deles (presos) no cansaço. Quando clarear o dia, aí sim. Iremos fazer as diligências que forem necessárias — disse o tenente.

O oficial também pediu para que os moradores das regiões onde o cerco foi estabelecido tomem o máximo de cautela, já que os foragidos estavam detidos na ala do presídio destinadas as presos de maior periculosidade. Entre os fugitivos estão Carlinhos Erthal e Otávio Garcia Machado, envolvidos no assalto à agência do Itaú, em Massaranduba.

— Se perceberem alguma movimentação estranha, chamem a Polícia Militar — alertou.

Nesta operação de campanha e recaptura dos presos também foram mobilizados policiais das cidades vizinhas de Jaraguá do Sul como Guaramirim e Massaranduba. Também foi confirmada o reforço de uma guarnição do P2 de Joinville. Atualmente, a população carcerária do presídio da cidade é de 338 presos, sendo que a capacidade é para 76 detentos.

Confira a lista dos fugitivos:

Fernando Rosa
Adriano Laurindo
Murilo Rosa
Sandro José Ferreira Zacheto
Cleverson de Oliveira
Rafael Cristiano Alves
Cleverson Alirio Martins Alves de Lima
Luis Gustavo Vieira
Everton Willian Correa
Luis Carlos Lopes Dias
Maique Fernando Rocha
Samuel Rodrigues Martins
Valdomir dos Santos Siqueira
Daniel Carlos Pedroso
Gerson Araldo Matias Rosa
Carlinhos Erthal
Otávio Garcia Machado
Matheus da Silva
Anselmo Dias Jacir de Lima
Caetano Adriano Silva Reis
Reinaldo Laurindo dos Santos
Leandro de Barros
Gilmar Kretzmer

Fonte: www.an.com.br

domingo, 21 de março de 2010

FALTA DE EFETIVO, DEIXA BAIRROS DE JOINVILLE SEM BASE POLICIAL MILITAR.

1 comentários


FALTA DE EFETIVO, DEIXA BAIRROS DE JOINVILLE SEM BASE POLICIAL MILITAR.

Os bairros Boa Vista, Iririú, Comasa, Espinheiros e parte do bairro Bom Retiro em Joinville estão sentindo o que faz a politicagem e a falta de compromisso das autoridades do Estado no tocante à segurança pública.

A base operacional da Policia Militar, que sempre foi uma referência para a população destes bairros foi fechada, no período da noite. Oficialmente não se sabe o porquê, no entanto, presume-se que seja pela falta de efetivo, haja visto que tal problema é publico e notório.

Os bairros acima citados, segundo o censo de IBGE de 2000, são habitados por cerca de 76 mil pessoas e possuem centenas de indústrias e milhares de estabelecimentos comerciais, entre eles vários bancos, lotéricas entre outros. Outro fato importante a ser destacado é que reside no Bairro Boa Vista, sua Excelência o Governador de Santa Catarina, Sr Luiz Henrique da Silveira, no entanto esta autoridade tem à sua disposição um número de Policiais para fazer a segurança de seu lar.

Há cerca de 10 anos, tínhamos trabalhando nestes bairros duas viaturas, rodando 24 horas por dia e quase sempre uma viatura de reforço (em períodos considerados críticos), além da base operacional que servia, além de ponto de apoio, como referência para a população, somado a este efetivo, tinhamos ainda vários Policiais fazendo o polciamento ostensivo, nos locais de maior movimento dos bairros.

Atualmente, por óbvio que a população aumentou, sendo que este aumento de habitantes não teve a contrapartida no tocante à segurança pública por parte das autoridades, haja visto que temos hoje, uma base funcionando por apenas meio período (de dia), duas viaturas rodando 24 horas por dia e outra doze horas, sendo que o policiamento ostensivo foi extinto, ou seja, aumentou a população e diminuiu a segurança pública.

Alguns fatores devem ser levados em conta na diminuição do efetivo da Policia Militar e devem ser explicitdos para a sociedade.

O primeiro deles é a pouca reposição do efetivo que não acompanha a saída daqueles que já se doaram por 30 anos ou mais e que em assim sendo requerem sua merecida aposentadoria.

O segundo fator é a falta de um gerenciamento efetivo com o pequeno número de policiais existentes, senão vejamos: A criação desenfreada de Batalhões por toda a Santa Catarina e "vendida" para a sociedade como panacéia do problema de segurança pública, na verdade não minimiza a grave deficiência do setor e ao contrário disto prejudica, haja visto que com a criação de Batalhões retira-se um sem número de profissionais das ruas para realizarem trabalhos burocráticos, diminuindo ainda mais o parco efetivo existente. O objetivo de tantos batalhões serem criados é só um, qual seja o aumento do número de vagas para os cargos gerenciais, oxigenando a carreiras dos gestores das instituições militares estaduais.

A conclusão, óbvia por sinal, é que de fato a segurança pública, do ponto de vista estrutural e de efetivos, além de seus profissionais ( notadamente os de baixa graduação) estão a mercê da "boa vontade" de políticos e da "loucura" de administradores, que não têm como prioridade o comprometimento com seu eleitorado, nem com o povo em geral.

A falta de uma política de Estado, não dotada de rancores e focada em consceitos modernos de gestão para o sistema como um todo, tem como único prejudicado a sociedade, pagadora de seus impostos e que não tem seus direitos minimamente assegurados pelo ente estatal.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Ric Record: Reportagem sobre anistia aos Policiais Militares, Lei Federal não cumprida pelo Governador LHS

0 comentários
video

quarta-feira, 17 de março de 2010

0 comentários
SOS SEGURANÇA PÚBLICA - DEP. ESTADUAL DO DEMOCRATA PEDE A EXONERAÇÃO DO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA RONALDO BENEDET

Após vários anos em que a APRASC vem denunciando o caos do sistema de segurança pública em Santa Catarina, finalmente alguns Deputados Estaduais da base de apoio do Governo do Sr. LHS, acordaram para a realidade nua e crua.

Em discurso proferido nesta quarta-feira (17/03), um Deputado Democrata, importante líder do alto vale do Itajaí, pediu a exoneração do Secretário de Segurança Pública, alegando que não aguenta mais tanta incompetência, somada com a falta de gerenciamento e a extrema politicagem que vem dominado a referida pasta, tanto por parte do Secretário como por seus subordinados das cúpulas.

Nas palavras do referido Dep. Democrata, a Secretária de Segurança vem comandada por pessoas incompetentes a mais de sete anos e não é possível mais aguentar tanta irresponsabilidade e em assim sendo se faz necessário uma mudança radical na referida secretária.

Finalmente, após milhares de denúncias feitas pela APRASC ( Associação de Praças de Santa Catarina), dando conta no caos e abandono da Segurança Pública em Santa Catarina, alguém acordou para a realidade. Resta agora que assim como este Deputado, da base de apoio percebeu os fatos como eles de fato o são, também a mídia e o Governo acordem e de fato implementem mudanças, pois é fato que as coisas estão de mau a pior e como exemplo temos o assalto na casa do Comandante Geral da PM e o arrombamento no setor de inteligência da própria Secretária de Segurança Pública, enquanto isso, continuam a perseguições e as as punições para aqueles que cobram o cumprimento da palavra e das leis em Santa Catarina.

A sociedade de Santa Catarina e os profissionais da área merecem mais respeito pot parte das autoridades do poder executivo que acabaram com a segurança pública em nosso Estado.

terça-feira, 16 de março de 2010

Jornal do Almoço - Prédio do Serviço de Inteligência é arrombado

0 comentários

Declarada a "Guerra" entre gangues na Chico Mendes

0 comentários

Jovem e adolescente morrem após trocar tiros em Florianópolis

Vítimas teriam desavença antiga, mas começaram a briga em um bar.

Uma desavença entre dois homens dentro de um bar resultou na morte de ambos no fim da tarde deste domingo, no bairro Monte Cristo, em Florianópolis. O fato foi por volta das 19h, no fim da rua das Seringueiras.

Segundo informações da Delegacia de Homicídios da Capital, eles teriam trocado tiros entre si e os dois acabaram atingidos. Diones Gonçalves de Jesus, 28 anos, o Pingo, morreu no local. O corpo dele foi encontrado caído no meio da rua.

O outro envolvido na briga, um jovem de 15 anos, chegou a ser levado com vida ao Hospital Florianópolis, mas não resistiu aos ferimentos e também morreu.

Segundo o delegado Ênio Matos, não há dúvidas de que a motivação do crime está ligada ao tráfico de drogas. Pingo era um antigo conhecido da polícia, com envolvimento no tráfico e em cerca de seis homicídios. A outra vítima seria irmão de um rival de Pingo. As armas usadas no crime não foram localizadas.

Fonte: HORA DE SANTA CATARINA http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/jsc/19,5,2838529,Jovem-e-adolescente-morrem-apos-trocar-tiros-em-Florianopolis.html


NOTA DO BLOG


Ontem um policial que trabalha na área onde ocorreu o assassinato, realizou diversas abordagens, sendo que muitos jovens relataram que a "guerra" estava declarada, sinalizando que muitas mortes virão. Lógico que a PM irá trabalhar para coibir esses delitos, mas com a falta de efetivo, viaturas e equipamentos adequados, dificilmente conseguirá impedir esse derramamento de sangue.


Pra piorar, a insatisfação dos praças, aqueles que trabalham diretamente na rua, é muito grande, reflexo dos maus salários e da política de opressão dentro dos quartéis. E mais uma vez a população fica a mercê desta insegurança pública, ocasionada pelo desleixo de três pessoas: Cel Eliésio Rodrigues, Secretário Ronaldo Benedet e Governador Luiz Henrique da Silveira.

segunda-feira, 15 de março de 2010

CONTINUA AUMENTANDO O Nº DE ASSASSINATOS EM JOINVILLE

0 comentários
Índice de homícios em Joinville não para de crescer.

Continua aumentando o número de homicídios em Joinville. Neste fim de semana (13/14 de março) mais dois assassinatos foram registrados na maior cidade de Santa Catarina, aumentando para 14, somente este ano.

Comparando com o mesmo período do ano passado temos que mais pessoas tiveram suas vidas ceifadas pela marginalidade, tendo em vista que no mesmo período, em 2009 foram registrados 13 homídios em Joinville, o que demonstra que a continuar esta logica, teremos no final de 2010 mais um recorde batido na segurança pública.

O ano de 2009 foi histórico no quesito número de assassinatos em Joinville. Foram registrados, naquele ano, 86 homicídios na cidade, um a mais que o registrado em 2008.

Levando-se em conta que, ainda no mês de março de 2010 já temos um homícidio a mais que no mesmo período em 2009, não é difícil imaginar ou visualizar que em 2010 novo record será batido no quesito assassinatos em Joinville.

Para efeito de comparação com cidades do mesmo porte de Joinville, citamos aqui Ribeirão Preto, munícipio do interior de SP, com uma população 563.107 habintantes (IBGE - 2009), e que em 2009 registrou 66 assassinatos, ou seja 20 homicídios a menos que na manchester catarinense.

Em Santa Catarina, o Governador LHS, não cumpre a lei, ou melhor as leis.

8 comentários
Em uma pequena pesquisa acerca da legislação estadual, notadamente àquelas que dizem diretamente aos servidores do sistema, no tocante à segurança pública, pode-se verificar que temos uma gama de leis ignoradas pelo "líder" político estadual, qual seja o Governador LHS do PMDB e que é também ignorada pelas autoridades dos outros poderes.
Senão vejamos:

- Lei 254/03 - Conhecida como lei da escala vertical, esta lei tinha por escopo regulamentar as distorções salariais dos servidores da segurança pública em Santa Catrina. Fruto de um debate entre todas as categorias de trabalhadores com membros do Governo, a lei foi sancionada pelo atual Governador em 15 de Dezembro de 2003 em uma cerimonia extremamente concorrida e amplamente divulgada pelas autoridades estaduais como sendo a solução para as injustiças salariais comeetidas contra os servidores da base do sistema.
Passados mais de 6 anos os servidores da base ainda aguardar o cumprimento desta lei.

Constituição do Estado de Santa Catarina em seu Art. 105, §2º - " O regulamento disciplinar dos militares estaduais será revisto periódicamente, com o intervalo de no máximo cinco anos, visando seu aprimoramento e atualização."
A evolução social, cultural e individual que ocorre no Brasil e no mundo é um fato inconteste e como tal exige que instituições e pessoas, principalmente àquelas ligadas à órgãos estatais acompanhem tal processo evolutivo como forma de adquirir excelência em sua área de atuação. No entando, em Santa Catarina, nas instituições militares a evolução ainda não aconteceu por conta da resistência interna das cúpulas em manter seu domínio discricionário, calcado em normas e regras que não se coadunam com o princípio contitidos em nossa Constituição. Em assim agindo, nossos "líderes", isolam a instituição e os seus servidores, tornando-os subcidadãos, alijados de direitos e com lógicas excludentes da sociedade como um todo e da evulução citada acima.
Paralelo isto, o discurso destes "líderes" para o siciedade mostra-se enganador e fictício, visto que não há como defender direitos humanos, dignidade da pessoa humana e respeito se os seus subordinados são tolhidos de tais ditames em um processo paradoxal.
O Governador LHS tem ampla responsabilidade em todo este imbróglio, haja visto que é de sua inteira responsabilidade o cumprimento das normas contidas, tanto na Constituição Federal, como na Constituição Estadual, passivo inclusive de responder por crime de responsabilidade, afinal, o mesmo esta descumprindo a Constituição, a qual jurou cumprir.

Lei Federal nº 12.191/2010 - Lei da anistia - Lei que consede anistia a policiais e bombeiros militares dos Estados do Rio Grande do Norte, Bahia, Tocantins, Roraima, Santa Catarina, Brasília, Pernambuco, Mato Grosso e Ceará, punidos por participar de movimentos de cunho reivindicatório.
A referida lei, aprovada no Congresso Nacional e sancionada pelo Presidente Lula, tem como objetivo corrigir uma histórica injustiça cometida por Governadores que usaram a boa vontade de Praças do Brasil, com clara intenção eleitoral, aprovando leis e não as cumprindo, o que culminou naturalmente com a manisfetação dos Praças enganados pelas autoridades políticas.
Santa Catarina é o único Estado que ainda não cumpre a referida lei na sua plenitude sob o argumento de que esta esta sendo objeto de análise no Supremo Tribunal Federal, através de uma ADI (ação direta de inconstitucionalidade) movida pelo Estado. Ora, mesmo com esta ADI, cabe ao executivo estadual e ao Comando das instituições militares o cumprimento da lei, visto que enquanto não houver a decisão do mérito, pelo STF a lei esta me pleno vigor.
Mais uma vez, o Govrnador LHS, mostra seu descaso com legislação vigente e com o Estado democrático de direito.

Lei Complementar 137/95 - Lei da hora extra do militares estaduais - Dispõe sobre a concessão de gratificação complementar de remuneração paritária aos ocupantes dos cargos que menciona e estabelece outras providências.
A lei da horas tem como objetivo regular os abusos cometidos por alguns gestores da segurança pública que escalavam servidores sem no entanto prever o pagamento de tal trabalho extra.
Ocorre que ao longo dos anos, com o abandono da política de contratação de policiais como forma de repor o efetivo que se aposentava, os gestores retomaram a lógica de "escravizar" policiais como forma de suprir o efetivo que não mais existia, bem como manter uma sensação de segurança pública à população, sensação esta que não surte o efeito desejado, haja visto que os indices de violência em Santa Catarina não param de crescer.
Outra consequência da não aplicação desta lei, é que servidores, notadamente os Praças das intituições tem trabalho sob forte pressão, tendo em vista que além de deixarem seus lares (de forma obrigada) e seu tempo de descanço para suprirem a falta de efetivo existente, não recebem nada por isso, pois a mencinada lei estipula que o Estado remunurará tão somente 40 horas excedentes, sendo que em milhares de casos os Praças ultrapassam e muito o limite estipualdo pela legislação e não recebem nada por isso.
Tanto o Governador, bem como os Comandantes Gerais das instituições militares tem responsabilidade sobre mais este abuso, haja visto que não se planejaram adequadamente para suprir a demanda de efetivos nas corporações.

Lei Complementar 318/06 - Plano de carreira dos Praças das instituições militares - Dispõe sobre o plano de carreira dos Praças de Santa Catarina e estabelece outras providências.
Esta lei teve o escopo fazer com que realmente os Praças de Santa Catarina obtivessem uma carreira, tendo em vista que não forma raros os casos em que Praças se aposentaram sem uma promoção sequer.
Lamentavelmente, o Comando Geral da PM ficou com a responsabilidade de planejar e aplicar a referida lei. Ocorre que em momento algum a intenção da lei esta sendo cumprida, tendo em vista que pouca coisa mudou no tocante às promoções dos Praças, haja visto que temos centenas de vagas disponíveis e o Comando Geral não as ativa, o que proporcionaria uma satizfação pessoal ao Praça.
Contrariamente à situação dos Praças, que não vem suas carreiras deslancharem, os Oficiais, poe seu turno nunca tivéram uma oxigenação tão profunda em suas carreiras ao ponto de termos Oficiais sendo promovidos duas vezes em um curto espaço de tempo.
Tanto o Governador como o Comandante Geral da PM tem plena responsabilidade pela não aplicação desta lei, pois o objetivo da mesma não esta sendo cumprido, ou para ser mais coerente, esta sendo cumprido parcialmente no caso dos Praças, ao contrário do que ocorre com os Oficiais.

Lei 14.825/09 - Institue indenização por óbito ou invalides de policial - Institue indenização por óbito ou invalidez permanente, total ou parcial, aos servidores integrantes do sistema de segurança pública de Santa Catarina.
É absurdo se imaginar que durante 174 anos, os servidores de segurança pública ( no caso da Policia Militar) arriscam suas vidas em prol da sociedade e nunca tiveram uma indenização a qual o deixassem mais tranquilos acaso algo de trágico lhe viesse a acontecer.
No ano de 2009, após reiteredas solicitações da Aprasc, o Governo do Estado encaminhou para a Assembléia Legislativa um projeto de lei que instituiria tal indenização, fato que foi aplaudido por milhares de servidores da segurança pública.
Decorridos 7 meses da sanção da lei e após algumas fatalidades ocorridos com policiais por toda a Santa Catarina, lamentavelmente o Governo ainda não regulamentou a dita lei de indenização o que causou e causa revolta entre os servidores, haja visto que neste período alguns óbitos ocorreram e famílias passam por dificuldades em função do descaso do Sr. Governador.

Lei 12.992/04 - Dispõe sobre o registro e divulgação de dados sobre a violência e criminalidade em Santa Catarina.
Esta lei tem por finalidade o acompanhameto da evolução do índice de criminalidade e Santa Catarina por parte dos órgãos de imprensa e da sociedade como um todo e lamentavelmente também não esta sendo cumprida, o que nos leva a concluir que o Governo esconde os números como forma de não admitir que aqui em nosso Estado a segurança pública esta a mercê, abandonada o que leva inevitavelmente à um aumento do índice de violência e que é escodido pelas autoridades.

Constituição do Estado de Santa Catarina, art. 23 - A remuneração dos servidores da administração pública de qualquer dos poderes atenderá ao seguinte:
I - A revisão geral da remuneração, sem distinção de índice entre servidores civis e militares, far-se-à sempre na mesma data.
Este dispositivo constitucional tem por objetivo regular uma politica de reajuste salarial nos funcionalismo público estadual e também não esta sendo cumprido.

Como podemos ver, existe uma gama de leis não cumpridas pelo Governador de Santa Catarina o que influenciam diretamente na prestação de serviço do servidor de ponta, tendo em vista que as leis que tem por finalidade cobrar dos mesmos são aplicadas na íntegra, no entanto aquelas que os beneficiam são sumariamente esquecidas ou ignoradas.

sexta-feira, 12 de março de 2010

Base de apoio da PM é atingida por tiros em Florianópolis

4 comentários
Projéteis atingiram fachada e janela do prédio no Parque São Jorge

A base operacional da Polícia Militar (PM) no Parque São Jorge, loteamento residencial na área central de Florianópolis, foi atingida por tiros na madrugada desta sexta-feira.

Não havia ninguém no local no momento do incidente. Pelo menos oito perfurações à bala teriam sido descobertas no começo da manhã no imóvel utilizado como base de apoio por policiais militares.

Um dos tiros atingiu a janela frontal da construção e outros dois no símbolo da polícia, pintado na fachada do imóvel, na rua Vera Linhares de Andrade.

Segundo a PM, a base é utilizada por policiais somente nos horários de maior movimento — começo da manhã e entrada e saída das escolas da região — e não funciona à noite.

A última ocorrência semelhante, conforme a corporação, foi registrada há dois anos contra um posto militar na Bela Vista, em São José.

O tentente-coronel Newton Ramlow, comandante do 4º Batalhão da PM, descartou qualquer relação entre o incidente e a intensificação das ações policiais contra o tráfico de drogas e outros crimes nos morros da cidade. Para ele, trata-se de um caso isolado.

Técnicos do Instituto Geral de Perícias (IGP) estiveram no local no começo da manhã e recolheram cápsulas de pistola calibre .365 e nove milímetros

quarta-feira, 10 de março de 2010

Tortura ou Justiça?

1 comentários
Matéria do DC aborda violência policial

O Diário Catarinense publicou nesta quarta-feira uma reportagem sobre os recentes casos de violência policial. Na reportagem o Sargento Amauri Soares, presidente da Aprasc, defende mais apoio psicológico aos PMs e também melhores salários. Leia abaixo

FLAGRANTE
Tortura ou justiça?

A reportagem ganhou a capa e duas páginas da edição do DC do último domingo. As imagens são fortes e ninguém nega o fato de que dois policiais agrediram um homem desarmado, que, em momento algum, reagiu, e estava dentro da própria casa, na Capital. O que, desde então, tem passado longe do consenso é a opinião sobre a ação dos PMs. O homem mereceu apanhar, pois estava andando nu pelas ruas? Ou ele foi vítima de uma sessão de tortura?

As opiniões publicadas nestas páginas são o reflexo do que pensa a maioria dos internautas que se manifestavam sobre o assunto. Até a tarde de ontem, dos 230 comentários registrados no www.diario.com.br, em 136 (56,6%) os leitores achavam que o homem espancado fez por merecer a surra e que a polícia agiu certo.

Para entender esta reação, o DC ouviu especialistas de diversas áreas. Um ponto é unânime entre os entrevistados: as pessoas estão cada vez mais vivendo com o sensação de insegurança e defendem a própria violência como uma das formas imediatas de resolver o problema.

FLAGRANTE
Justiça desacreditada

O que leva as pessoas a pensarem assim? Não há apenas um fator que possa ser analisado. Estão em jogo a formação, os valores, o aprendizado no coletivo e o papel do Estado. Para Thais Luzia Colaço, professora de antropologia jurídica do Departamento de Direito da Universidade Federal de Santa Catarina, as opiniões mostram a falta de credibilidade com o judiciário.

– As pessoas vivem num estado de insegurança, onde a violência gera violência. Acabam se protegendo de forma violenta e querem fazer justiça com as próprias mãos – diz Thais.

FLAGRANTE
Dois pesos

O caso dos PMs também revela pensamentos impregnados em nossa cultura: ninguém apanha sem motivo e os direitos humanos defendem apenas bandidos, opina Danielli Vieira, doutorando em Antropologia Social e pesquisadora do Laboratório de Estudos das Violências da UFSC:

– Somos todos iguais perante a lei, mas, em nosso cotidiano, legitimamos ações arbitrárias.

Ela leva em conta que o julgamento costuma ser feito com base na “qualidade” da pessoa em questão. Trabalhador ou desocupado, mãe de família ou prostituta, bem vestido ou com cara de delinquente. O debate, defende, é importante para ampliar o papel da sociedade sobre violência, democracia e as instituições.

Outros casos de violência policial foram alvo de polêmica. Os mais recentes são o dos jovens de Timbó e dos presos em São Pedro de Alcântara.

FLAGRANTE
Cultura de violência

A razão da discórdia também pode estar na figura humana. A psicóloga e professora da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), Giovana Delvan Stuhler, lembra que o homem sofre influência sobre o que pensa, pela convivência, observação ou até mesmo de autoridades:

– Numa negociação no comércio, por exemplo, a “tendência” quando há uma reclamação a fazer é a pessoa protestar de forma mais brutal e não negociar. Porque ela sabe que, se for de maneira mansa, vai demorar a ser atendida.

Outro fator destacado por Giovana é uma suposta visão simplista dos fatos. Ela cita o que aconteceu na década de 1980, quando muita gente defendia a Aids como forma de acabar com os homossexuais.

– Uma visão simplista, absurda e preconceituosa – conlclui a psicóloga.

FLAGRANTE
Com as próprias mãos

A resposta também pode estar em problemas para lá de conhecidos, como a corrupção. Desembargador aposentado e com mais de quatro décadas de atuação na advocacia e magistratura, Carlos Alberto Silveira Lenzi considera este um sinal de violência social e política, que gera reflexos em toda parte.

– O cidadão está cansado e quer agir com as próprias mãos. Mas não pode. Existem leis para isso – reforça Lenzi, reconhecendo a morosidade da Justiça como um dos complicadores.

FLAGRANTE
O próprio PM

Um dos policiais militares que espancou o morador do Bairro Coqueiros falou ontem ao programa Notícia na Manhã da Rádio CBN Diário. O militar confirmou a versão que havia apresentado ao deputado e sargento Amauri Soares, divulgada ontem pelo DC. O PM disse que cometeu as agressões por impulso, para proteger uma empregada doméstica.

De acordo com o militar, havia dois anos que a vítima denunciava que era molestada pelo “tarado do Parque de Coqueiros”.

– O bom é que essa moça agora pode trabalhar descansada. Ela, graças a Deus, me agradeceu muito. O vilão da história passou a ser vítima – declarou o policial.

FLAGRANTE
Estresse vira agressividade

O cotidiano de um trabalho estressante e arriscado dos policiais também pode estar por trás de casos de agressão. Para o deputado Amauri Soares, presidente da Associação dos Praças de Santa Catarina (Aprasc), é preciso ampliar o atendimento psicológico oferecido aos policiais militares.

Soares afirma que a atual quantidade de profissionais à disposição é insuficiente. O líder da categoria diz que os PMs deveriam passar por uma reciclagem nos consultórios a cada seis meses, mas lamenta ainda existir preconceito entre os próprios militares. Quem procura psicólogo é tachado de louco.

Nos meios policiais do Estado, comenta-se que a insatisfação dos praças e soldados aumentou desde o final de 2008, quando houve protestos e fechamento de quartéis. O motivo é a não implantação da Lei 254, que prevê reajuste salarial.

Além da apuração da conduta dos militares no espancamento flagrado pelo DC, o episódio terá ainda desdobramentos para a vítima agredida. O homem será investigado por policiais civis da 4ª DP, em Coqueiros. A determinação é do delegado Jaime Martins.

Na segunda-feira, depois da veiculação da reportagem pelo DC, a mulher que se dizia vítima do homem agredido procurou a delegacia e registrou um boletim de ocorrência. O homem poderá responder por atos obscenos ou até atentado violento ao pudor.