quinta-feira, 17 de junho de 2010

ASSIM CAMINHA A SEGURANÇA PÚBLICA DE SC

1 comentários
SEM GENTE, SEM NOVAS DELEGACIAS

Com as reformas dos prédios concluídas há mais de três meses, três delegacias de Joinville seguem com as portas fechadas porque a Polícia Civil não tem gente. São as delegacias dos bairros Itinga, Morro do Meio e Vila Nova. Para colocar em operação cada uma das unidades, são necessários 13 policiais (um delegado, três escrivães e nove agentes). É a estrutura mínima. Em março, Joinville ganhou 21 policiais civis – seis deles delegados - mas o reforço não chegou nem a atender à demanda criada por causa da saída de profissionais aposentados ou transferidos. Assim, se faltam policiais para atender à atual estrutura, fica impossível ativar novos serviços. Há policiais em treinamento, assim como a possibilidade de serem chamados profissionais aprovados em concurso de 2008, mas não existe nenhum prazo ou definição de quando as delegacias poderão receber os servidores e entrar em operação.

Sem transporte, acusado é solto

O juiz João Marcos Buch mandou soltar acusado de tráfico de drogas em Joinville. Detido no Presídio Regional, o cidadão não compareceu a audiência porque não havia veículo para transportá-lo até o Fórum. O juiz lamentou a falta de estrutura do sistema prisional e alegou que não havia outra alternativa, por regras processuais (excesso de prazo), a não ser soltar o homem.


http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2939924.xml&template=4191.dwt&edition=14909§ion=941

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Denúncias do Blog surtem efeito!!!

0 comentários

É com imensa felicidade que repassamos esta notícia.

Através das denúncias que este blog vêm realizando, estamos conseguindo vitórias, melhorias na qualidade e no serviço dos policiais militares.

Prova disto é a notícia que recebemos com relação às escalas absurdas, em especial no município de Bom Jesus do Oeste.

Lá a escala era de 48h X 48h (Serviço X Folga) e através da denúncia deste blog conseguimos resolver parcialmente esta situação. A cidade segue com apenas um policial por dia, mas agora a escala é de 12h X 36h (Serviço –Folga).

Só com luta é que conseguiremos mudança, e esta luta se dá também através das denúncias, as quais temos recebido.

Agradecemos aos praças, e que sigamos juntos na luta por uma instituição melhor, por uma sociedade mais justa.

Atenciosamente,

O Blogueiro.


Saiba mais em: http://sos-seguranca.blogspot.com/2010/04/escalas-absurdas-na-pmsc.html

sábado, 1 de maio de 2010

É PRECISO CONHECER A POLÍCIA MILITAR

19 comentários

É PRECISO CONHECER A POLÍCIA MILITAR


Vivemos um momento de uma veloz mutação organizacional em nossa corporação. Mudanças estas promovidas pelas arbitrariedades da Cúpula da PM (era eliésio) e outras de situações que surgiram ao longo do caminho da luta dos praças e impuseram à formação de um novo cenário institucional.


Até mesmo para os soldados mais modernos, incluídos há pouco mais de dois anos, a Polícia Militar não é a mesma da época em que ingressaram. Imaginem então para aqueles soldados que já estão beirando a reserva remunerada.


É preciso, portanto, conhecermos realmente a instituição que servimos. Além do já conhecido sistema opressor, é fundamental compreendermos a estrutura desse sistema. Quantos de nós, por exemplo, saberiam relacionar quantos conselhos de disciplina foram instaurados após a “Dezembrada”, quantos policiais já foram excluídos em decorrência dessas perseguições?


Na verdade, é preciso saber mais que isso. Geralmente identificamos apenas aquilo que nos agrada, que nos faz permanecermos na inércia do cotidiano. A questão aqui não é ocultarmos ou minimizarmos nossas virtudes. Mas, por outro lado, é preciso identificarmos os problemas, reconhecer os agressores e combater as perseguições e humilhações.


Os senhores sabiam que a PMSC tem o 7º pior salário do País, mas está entre os maiores arrecadadores de impostos?


Que o Presidente da República sancionou uma lei anistiando os policiais que lutaram por melhorias salariais, mas o governo estadual não a reconhece?


Que além dos vinte e um policiais excluídos e dos mais de 50 Conselhos de Disciplina (inquisitórios) instaurados, milhares de policiais são perseguidos, punidos e humilhados e seus locais de trabalho?


Que os animais da Cavalaria e do Canil são mais bem tratados do que os próprios policiais? Pois os animais domesticados recebem ração de qualidade e períodos intercalados de descanso e trabalho, enquanto que os animais fardados (leia-se praças) recebem uma alimentação insatisfatória e trabalham em extensivas jornadas de trabalho.


Que a maioria dos policiais militares recorrem a “bicos” devido aos baixos salários, chegando cansados para o serviço policial?


Que o nosso Centro de Material Bélico tem um dos melhores serviços de recarga de munição do país, mas a grande maioria dos policiais militares está há anos sem realizar um tiro sequer em instrução?


Que a Polícia Militar Ambiental trabalha incessantemente em prol da fauna e da flora, mas o seu “habitat” (Batalhão) é um antigo prédio abandonado, que está prestes a cair, onde nem os mendigos têm coragem de ocupar?


Que a relação policiais por habitante diminui a cada ano, refletindo diretamente no aumento da criminalidade?


Estes são alguns exemplos de muitas outras ações e práticas que, por si só, diminuem e desvalorizam a profissão “Policial Militar”, superando as expectativas quando do ingresso dos jovens policiais na corporação.


É importante, enquanto multiplicadores e até formadores de opinião, exercitarmos a disseminação da realidade daquilo que nossa corporação imprime aos seus operários. As perseguições e humilhações tendem a evoluir em progressão geométrica e, por isso, é crucial apresentarmos a verdadeira realidade aos catarinenses e ao país.


Abaixo a Ditadura! Escancarada ou não!


Santa Catarina, 1º de Maio de 2010.


Nota: Este texto foi feito em resposta à alocução do Capitão Alessandro Marques( http://www.pm.sc.gov.br/website/redir.php?act=1&id=7182)


Ameaças:


1 comentários


Batalhão da Polícia Militar é alvo de tiros em Florianópolis


Um disparo atingiu o vidro de uma viatura e outros três acertaram o prédio da corporação


Equipes do 22º Batalhão de Polícia Militar, no bairro Monte Cristo em Florianópolis, estão mobilizadas para localizar dois homens suspeitos de atirar contra o prédio da corporação por volta das 17h desta quinta-feira.

Segundo a PM, foram disparados quatro tiros, sendo que um acertou o vidro de uma viatura e os outros atingiram o edifício. Ninguém ficou ferido.

Os disparos teriam sido feitos a uma distância de aproximadamente 100 metros. A polícia suspeita que dois homens tenham atirado.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Escalas Absurdas na PMSC

7 comentários

Escalas Absurdas na PMSC

Já são de conhecimento dos policiais militares os absurdos jurídico-sociais quando falamos sobre escalas de serviço. Estamos acostumados a ser tratados da pior forma possível pelo Estado, por inúmeras vezes trabalhando para além da carga horária máxima, e ainda excedendo o limite das famigeradas 40 horas extras.

Mas esta denúncia que recebemos vai muito além, trata os policiais como verdadeiros escravos, mesmo tendo a abolição da escravatura ocorrida séculos atrás.

Na cidade de Bom Jardim do Oeste, policiais militares revezam-se numa escala de 48h de serviço por 48h de folga (!!!) e, pra piorar, sozinhos na viatura, num policiamento individual nada convencional, bem diferente daquilo que o governo tenta repassar, diferente daquilo que se aprende na escola, nos cursos de formação.

A situação vem ocorrendo há muitos meses, pois de acordo com o denunciante o Tenente responsável pelo grupamento, disse que “como há falta de efetivo, os policiais devem se virar (nessas palavras) para que o policiamento não pare, e os superiores não peguem no pé dele”.

Ou seja, enquanto o mundo gira, o soldado se vira, ficando apenas um policial responsável por uma cidade inteira, com 2056 habitantes (Censo IBGE 2007).

Essa velha tática já é conhecida a muito tempo n meio militar, pois o objetivo principal dessas escalas absurdas é privar o PM do convívio social, deixando-o inerte e alheio ao mundo em que vive, servindo apenas como fantoche do governo.

Essa é a nossa Santa e Bela Catarina, com policiais cansados, desvalorizados, humilhados e menosprezados pelo Estado.

Parabéns Governo LHS, pelo legado deixado para nosso Estado. Parabéns Pavan, pela inércia nos assuntos relativos à segurança pública. Parabéns Ronaldo Benedet, pela incompetência pela qual comandou esses anos todos a SSP. A população catarinense saberá retribuir pelos desserviços prestados nesse período de trevas.



Deputado Kennedy Nunes assaltado em São José

8 comentários

Kennedy Nunes é assaltado na avenida Presidente Kennedy

terça-feira, 20 de abril de 2010

ABERTA A TEMPORADA DE ROUBOS

0 comentários

Até abril, Barra Velha registra cinco vezes mais crimes que no mesmo período de 2009

Uma loja fechará portas“Chega!!! Autoridades... Fomos assaltados 4 vezes em 45 dias. Parabéns, bandidagem! Vocês venceram... Vamos embora!” Estampar o aviso em uma faixa em frente à loja do qual é dono foi a maneira que o empresário Maurício Matias, de 38 anos, encontrou para divulgar sua indignação com os assaltos e furtos que têm se tornado constantes na praia de Itajuba, em Barra Velha. Segundo dados da Polícia Militar, de janeiro a abril foram 20 furtos a estabelecimentos comerciais na cidade. Cinco vezes mais do que no mesmo período do ano passado.

Somente nesta semana, o estabelecimento de Maurício, a Hibisco Surf Shop, foi roubado duas vezes. Na quarta, o pior: um assalto a mão armada em plena luz do dia. Segundo o proprietário, era perto das 14 horas quando um homem desceu de uma motocicleta Honda Biz. Com o capacete, entrou na loja e pediu uma roupa de determinada marca. “Como não tínhamos, ele saiu. Depois, voltou e anunciou o assalto. Só neste dia, o prejuízo foi de R$ 10 mil. A funcionária nem vem mais à loja. Está com medo”, completa Maurício. Segundo a Polícia Militar, o ladrão acabou preso.

O aviso de alarme não intimida os bandidos. Na madrugada de sexta-feira, outro roubo. Somadas as perdas, são quase R$ 25 mil de prejuízo. Após dois anos na cidade, a loja será fechada. Apenas a filial de Balneário Barra do Sul permanecerá aberta. “A gente quer investir na cidade, mas desse jeito não dá. Já estou pagando a rescisão dos funcionários”, lamenta o empresário, também dono de uma choperia em Barra Velha.

O receio, agora, é de que as pessoas deixem de ir à choperia por temerem um assalto. Maurício acredita que a Polícia Militar faz a sua parte, mas para ele é preciso ter mais policiais na rua. “Somente uma viatura faz a ronda aqui [em Itajuba]. E ainda há mais outro bairro para cuidar. Às vezes, passam durante o dia, mas o importante é de madrugada. Até irem no outro bairro e voltarem, demora muito”, avalia.

taisa.rodrigues@an.com.br

TAÍSA RODRIGUES | BARRA VELHA

http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2877695.xml&template=4187.dwt&edition=14530§ion=885

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Médias Salarias na PMSC: resposta ao tópico "O preço de uma vida: Soldado X coronel"

30 comentários

Médias Salariais na PMSC

Em resposta ao tópico: “O preço de uma vida: Soldado X Coronel”

Há algumas semanas atrás, publicamos o contracheque de um soldado, onde constava um salário líquido de R$1746,36. Desafiamos qualquer coronel da PM a postar seu contracheque. Não obtivemos a resposta, mas a curiosidade persistiu na mente de todos os praças.

Após mais uma polêmica envolvendo a questão salarial e a política de abonos, o comandante geral da PMSC, coronel eliésio rodrigues (propositalmente em minúsculo), publicou nota de esclarecimento à imprensa, divulgando valores de R$5.708,74, referente ao salário de um coronel. O que ele esqueceu de dizer é que este é apenas o soldo, não estão aí computadas todas as gratificações a que um coronel recebe (e olha que não são poucas!).

Pois bem, fuça daqui, fuça dali, e um soldado conseguiu achar, nas entranhas da internet, a média salarial de todos os servidores públicos estaduais. Nesta lista encontra-se o tão procurado contracheque do topo da pirâmide militar catarinense.

Na tabela abaixo, podemos ter uma noção desta discrepância salarial:


Nesta tabela não estão incluídas ainda o abono de R$2.000,00 que os oficiais farão jus a partir do próximo pagamento, tampouco as diárias militares, que rendem mensalmente uma média de R$1.666,66 aos oficiais da cúpula da PMSC.

Somando esses dois itens acima elencados, obtêm-se uma média de R$20.900,73. Média senhoras e senhores, imaginem então o salário do comandante geral, aquele mesmo que reportou nota de esclarecimento, indignado com as notícias repassadas pela APRASC e pelo Deputado Soares.

É um salário de fazer inveja a muito juiz e desembargador.

Ainda, considerando a Lei 254, que prevê uma diferença máxima de quatro vezes entre o maior e o menor salário, temos a incrível marca de 9,32 vezes, ou seja, mais uma lei descumprida por este (Dês)Governo, que é campeão em não cumprir a lei ( como é o caso da Lei Federal da Anistia aos militares).

Mais uma vez vemos os praças serem massacrados, enquanto a cúpula da PM desfruta de caviar e champagne.

Fonte da pesquisa:

http://www.sef.sc.gov.br/auditoria/images/stories/GEAPE/Acomp_Mensal_032010/anexo_vii_032010.pdf

Agradecimentos ao Soldado Valmórbida de Seara.

Santa Catarina, 15 de abril de 2010

quarta-feira, 14 de abril de 2010

0 comentários
Acerca da criação de batalhões por toda a Santa Catarina.

Há algum tempo, a Aprasc já vem informando que a criação de batalhões em Santa Catarina, a despeito do discurso oficial, tem prejudicado a sociedade, no entanto tínhamos apenas o conhecimento empírico de tal situação, ou seja, sabíamos na prática sob que aspectos e com quais intenções criava-se tantos batalhões.

Pois bem, o jornalista Alexandre Brandão, fez um levantamento acerca deste assunto e postou em seu blog (http://tupanfloripa.blogspot.com/), aliás, diga-se de passagem um excelente trabalho que corrobora o que a Aprasc vem afirmando há tempos.

Segue a levantamento realizado, com a devida avaliação do referido jornalista.

“Mais batalhões para a PM e menos policiais para a sociedade

Em 35 meses, entre julho de 2007 e março de 2010, foram criados 17 batalhões da Polícia Militar e seis do Corpo de Bombeiros Militar. Na Polícia, um aumento de 121%. No Bombeiro, acréscimo de mais de 85%. O período corresponde ao segundo mandato do governador Luiz Henrique da Silveira.

Até mesmo o governador interino deputado Jorginho Mello (PSDB), que ficou no cargo por apenas por dez dias, criou os seus batalhões. O 26º BPM e o 11º BBM. O primeiro em Joaçaba e o segundo em Herval d'Oeste, cidades vizinhas divididas pelo Rio do Peixe, que ele representa politicamente no Parlamento. Também foi responsável pela ativação do 24º Batalhão em Biguaçu.

Criação de batalhão não significa, necessariamente, mais policiais na rua, mais viaturas para circular e mais equipamentos disponíveis. Ao contrário, o número de PMs para trabalhar na função fim (policiamento ostensivo) diminui, pois aumenta o número de policiais que trabalham nas funções meio (burocracia).

A cada novo batalhão criado cria-se a necessidade de ocupar as vagas de comando, subcomando, estado-maior, ajudância, pelotão de comando e serviço e as chefias e cargos de cada companhia que vai compor o batalhão.

Cabide

O mote da descentralização, criado por Luiz Henrique, serviu como uma luva aos administradores da PM, que passaram a abrir batalhões por toda Santa Catarina. Também serviu para justificar a criação de novas vagas para coronéis. Até julho de 2008, a Polícia Militar comportava até 17 coronéis. Depois da Lei Complementar 417/2008, esse número pulou para 34 - exatamente o dobro. As outras graduações também tiveram acréscimo. As vagas de tenentes-coronéis, que tinham o limite de 41, agora são 131 - mais que o triplo; de major: de 68 a 183 - mais de duas vezes e meia; e de capitão: de 132 a 368 - quase o triplo.

Avalia-se que a cada cargo de coronel criado seis praças saem da rua para trabalhar no serviço administrativo ou até mesmo servir de motorista e fazer cafezinho para o comandante. Ou seja, a parte burocrática consome mais praças do serviço operacional.

Para ter mais policiais na rua, é preciso abrir concurso público - e não batalhões. Para a população tanto faz se a unidade é batalhão, companhia ou guarnição. O governo e os comandantes, no entanto, trabalham com isso como uma propaganda de mais segurança. Enganam a população. Além disso, viaturas, armamentos e equipamentos requer investimento constante, pois os materiais envelhecem e sofrem avarias.

Divisão

Não bastasse à criação de mais batalhões, o governador LHS criou, em setembro de 3 de setembro de 2007, através de decreto, uma nova espécie de unidade na Polícia Militar. Os antigos comandos regionais passaram a se chamar "Região de Polícia Militar". Até então eram sete comandos: Metropolitano de Florianópolis (CPMetro); Planalto (CPPIa); Vale do Itajaí (CPVI); Oeste (CPOe); Norte (CPNo); Sul (CPSu); e Médio e Alto vale do Itajaí (CPMAVI) - que foram renomeados para 1ª, 2ª, 3ª, 4ª, 5ª, 6ª e 7ª Região de Polícia Militar, respectivamente. Uma oitava região foi criada, também no mesmo Decreto nº 583, com sede em Tubarão. Até outubro de 2009 já foram criadas 11 regiões.

A pulverização das unidades da PM também acontecem em outros níveis. Muitas companhias, estado afora, estão se transformando em guarnições especiais, que é uma espécie de estágio para se transformar em batalhão. E os pelotões estão virando companhias. Mais uma iniciativa propagandística.

Foi assim que aconteceu, por exemplo, no Norte da Ilha. A companhia, que era ligada ao famoso 4º Batalhão, se transformou em guarnição especial, e depois ganhou o status de batalhão. É o caso também da ex-5ª Companhia também do 4º BPM, que, em 18 de junho de 2007 (Decreto nº 367), se transformou em 12ª Guarnição Especial, com sede na região continental da Capital. Menos de dois anos depois, a guarnição do continente se transformou em batalhão.

E é o que pode acontecer, por exemplo, com a 3ª Companhia do 16º Batalhão (Palhoça), que se transformou em Guarnição Especial de Polícia de Santo Amaro da Imperatriz, através do Decreto nº 2.688, em outubro de 2009, e logo pode virar um batalhão. A Guarnição Especial de Laguna, que tinha a chance de ser o 24º Batalhão, ainda não recebeu o status, mas é outra que logo vai ascender.

O próximo batalhão que pode ser criado é o de turismo. E isso não é uma piada.

Batalhões da PM criados no governo Luiz Henrique da Silveira, suas sedes e os decretos de ativação:

15º Batalhão de Polícia Militar - Caçador - Decreto nº 366/18 de junho de 2007;
16º Batalhão de Polícia Militar - Palhoça - Decreto nº 1.794/24 de outubro de 2008;
17º Batalhão de Polícia Militar - Joinville - Decreto nº 2.027/16 de dezembro de 2008;
18º Batalhão de Polícia Militar - Brusque - Decreto nº 2.350/25 de maio de 2009;
19º Batalhão de Polícia Militar - Araranguá - Decreto nº 2.439/6 de junho de 2009;
20º Batalhão de Polícia Militar - Concórdia - Decreto nº 2.235/31 de março de 2009;
21º Batalhão de Polícia Militar - Florianópolis (Norte da Ilha) - Decreto nº 2.344/21 de maio de 2009;
22º Batalhão de Polícia Militar - Florianópolis (Continente) - Decreto nº 2.306/6 de maio de 2009;
23º Batalhão de Polícia Militar - São Bento do Sul - Decreto nº 2.324/20 de maio de 2009;
24º Batalhão de Polícia Militar - Biguaçu - Decreto nº 2.689/16 de outubro de 2009;
25º Batalhão de Polícia Militar - Navegantes - Decreto nº 2.897/16 de dezembro de 2009;
26º Batalhão de Polícia Militar - Herval d'Oeste - Decreto nº 2.687/16 de outubro de 2009;
27º Batalhão de Polícia Militar - São Francisco do Sul - Decreto nº 2.938, de 30 de dezembro de 2009;
28º Batalhão de Polícia Militar - Blumenau.

Batalhão de Polícia Militar Rodoviária - Florianópolis - Decreto nº 820/20 de novembro de 2007;
Batalhão de Aviação da Polícia Militar - Florianópolis - Decreto nº 1.392/28 de maio de 2008;
Batalhão de Polícia Militar Ambiental - Florianópolis - Decreto nº 1.682/8 de setembro de 2008.

Batalhões do Corpo de Bombeiros criados, suas sedes e os decretos de ativação:

8º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar - Tubarão - Decreto nº 1.481, de 25 de junho de 2008;
9º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar - Canoinhas - Decreto nº 1.684/17 de setembro de 2008;
10° Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar - São José - Decreto nº 2.430/2 de julho de 2009;
11º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar - Joaçaba - Decreto nº 2.686/16 de outubro de 2009.
12º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar - São Miguel D’Oeste - Decreto nº 3.001, de 12 de fevereiro de 2010.
Batalhão de Operações Aéreas do Corpo de Bombeiros Militar - Florianópolis - Decreto nº 2.996, de 2 de fevereiro de 2010”

http://tupanfloripa.blogspot.com/
Excelente trabalho do Alexandre.

Esta tudo ai, como dizem, “preto no branco”, esperamos que agora, com números tão enfáticos e que comprovam nossas denuncias, a sociedade perceba a serviço de quem e para quem estão as instituições de segurança pública, notadamente em Santa Catarina.

Por outro lado, no tocante à progressão na carreira dos praças, bem, esta não caminha, ou melhor, para ser mais justo (até porque não corroboramos com injustiças) as promoções dos praças caminham a passos de tartaruga e daquelas bem antigas e pesando mais de 200 kg. Por incrível que possa parecer, ainda temos Soldados com mais de 22,23 anos sem uma promoção sequer.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Bombeiros detêm assaltantes em Florianópolis

0 comentários

Bombeiros detêm assaltantes em Florianópolis

Socorristas flagraram jovens fugindo após ataque a videolocadora

O que era para ser mais um atendimento de rotina transformou-se numa ocorrência inusitada para bombeiros de Florianópolis no final da noite desta segunda-feira. Os socorristas detiveram dois assaltantes que tinham acabado de atacar uma videolocadora no bairro Jardim Atlântico, área continental da Capital.

Tudo começou por volta das 23h, quando o Corpo de Bombeiros foi acionado para atender um suposto caso de agressão doméstica numa casa na avenida Atlântica, no bairro.

Três socorristas foram até o endereço indicado, mas não havia ninguém ferido no local. Eles decidiram então circular pelo bairro com a viatura para tentar localizar a susposta vítima, que poderia ter dado o endereço apenas como referência para o atendimento.

Foi quando avistaram dois jovens saindo correndo de uma videolocadora e, atrás deles, uma mulher gritando por socorro. Era a dona do estabelecimento que tinha acabado de ser assaltada pela dupla.

Os bombeiros decidiram seguir os assaltantes. Com a sirene ligada, eles perseguiram a dupla até a rua Celso Bayma, onde conseguiram deter os jovens.

No caminho, os fugitivos abandonaram parte do que tinham levado do estabelecimento invadido e uma arma de brinquedo.

— Acho que eles ficaram surpresos quando viram que estavam sendo perseguidos por uma ambulância com a sirene ligada — acredita o bombeiro José Roberto da Rosa, um dos que participou da detenção dos suspeitos.

Para manter os jovens dominados até a chegada da Polícia Militar (PM), os socorristas utilizaram lacres de plástico que haviam na viatura.

Segundo Rosa, os jovens foram encaminhados por policiais militares para a 6ª delegacia de polícia, especializada em ocorrências envolvendo menores de 18 anos.

— Não é nossa missão, mas a circunstância fez com que agíssemos desta forma. A arma deles começou a desmontar — explica o socorrista, que ressalta que só perseguiram os suspeitos porque notaram que a pistola utilizada no assalto era de brinquedo.

A Polícia Civil não confirmou a prisão dos jovens, nem divulgou mais detalhes da ocorrência.

Fonte: Clic RBS www.diario.com.br

Nota do Blog:

A falta de efetivo é tanta na PMSC que agora até os bombeiros estão atendendo ocorrência policial. Segundo informes do COPOM apenas uma viatura estava disponível no momento da ocorrência, pois outras duas viaturas estavam na Central de Polícia, realizando Boletins de Ocorrência. É mais uma da Insegurança Pública em Santa Catarina.

Aproveitamos para parabenizar os bombeiros, que além de se dedicar ao seu serviço, estendem a força para amenizar o caos na segurança pública.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Pacotaço vai custar ao menos R$ 624 milhões aos governo de Santa Catarina

0 comentários

Pacotaço vai custar ao menos R$ 624 milhões aos governo de Santa Catarina

Medidas Provisórias prevêem concessão de gratificações a servidores

Caso o governador Leonel Pavan (PSDB) não retire as medidas provisórias que concedem benefícios ao funcionalismo, a concessão gestada na transição com o governo de Luiz Henrique (PMDB) vai custar pelo menos R$ 624 milhões aos cofres públicos até o final de 2012.

Nove das 16 MPs criam gratificações a parte dos servidores. A maior parte dessa conta será paga pelo próximo governador ou governadora do Estado, já que o custo do pacote até o final do ano é de R$ 85 milhões.

Quem vencer as eleições para o governo estadual em outubro herdaria um gasto estimado em R$ 260,9 milhões em 2011 e em R$ 277,9 milhões em 2012.

Os cálculos foram concluídos pela Secretaria de Administração na tarde de quinta-feira, mas não incluem as quatro MPs editadas na segunda-feira. Segundo o secretário da Fazenda, Cleverson Siewert, o impacto dos benefícios na folha será absorvido.

O Estado tem condições de arcar com o crescimento previsto nestas medidas, pois já teve evoluções bem mais significativas para o caixa em outros anos, conforme aponta a evolução da folha desde 2003 — garante o secretário da Fazenda.

Folha tem crescimento vegetativo de 7% ao ano

O aumento de gastos reduz a margem de manobra do sucessor de Leonel Pavan. Isso porque a conta do pacote se soma ao chamado crescimento vegetativo da folha.

Por conta de direitos adquiridos dos servidores, contratações e outros gastos, a folha cresce em torno de 7% ao ano sem que se criem despesas novas — algo em torno de R$ 350 milhões.

Na Assembleia Legislativa, o presente a ser dado para o próximo governo é tema de conversas entre parlamentares. Os oposicionistas evitam tomar posição contra o pacote para não criar atritos com as categorias beneficiadas. O assunto chegou à tribuna na quarta-feira, quando Jailson Lima (PT) ironiza.

— Todo mundo sabe qual é meu lado, mas acho que vou sugerir na próxima reunião da bancada que a gente vote no candidato do DEM. Porque o Estado vai estar de tal modo engessado que não vai dar para governar — disse o petista.

Mesmo entre os governistas existem críticas. Os mais insatisfeitos dizem que interesses eleitorais contaminaram o pacote inicial, que continha apenas quatro projetos.

— Não tem solução. Retirar as MPs agora é um erro ainda maior — afirma um deputado da base.

Fonte: Clic RBS

http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&section=Geral&newsID=a2867297.xml


Nota do Blog:

Se o secretário da fazenda garante que existe orçamento para arcar com as despesas previstas, porquê então privilegiar tão poucos profissionais, e deixar a base da segurança pública com as migalhas deste pacotaço? Que dizer então dos servidores base da saúde e da educação, que nem com essas migalhas poderão contar? Não sei o que é pior, pois R$250,00 é um desrespeito com os profissionais, e não receber nada é uma completa omissão aos profissionais que cuidam da saúde e da educação do povo catarinense.

domingo, 11 de abril de 2010

Em luto pelo Sd Bastos! Mais um irmão tombado em combate.

7 comentários

Policial militar é morto na entrada de Tijucas, na Grande Florianópolis

Dois policiais militares foram baleados na noite desta quinta-feira em Tijucas, na Grande Florianópolis. Um deles morreu dentro da viatura, segundo informações do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar (PM).

O outro policial que estava na viatura foi encaminhado ferido ao hospital. Eles estavam na entrada da cidade e teriam sido alvo de dois homens em uma moto.


Um homem teria descido e atirado contra os policiais. Um deles morreu no local com pelo menos três tiros. O outro foi atingido no braço.

Ainda não se sabe se eles estavam em alguma operação. O local foi isolado para realização da perícia.

Fonte: Clic RBS

http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&section=Geral&newsID=a2866759.htm


Informações repassadas pelo Dep Sgt Amauri Soares:

Tendo sido comunicados pelo Cb Rogério (Tio Ruja) e pelo Bitencourt (Bita), fomos, eu e o Fortuna para o Hospital Regional de São José, chegando lá ao mesmo tempo que a ASU que conduziu o Sd Fernandes, e de onde retornamos agora.

Estavam o Sd Bastos e o Sd Fernandes em P-18 na frente de um local de eventos, quando dois motoqueiros, em uma moto CG 125, preta, encostaram atirando, com uma calibre 12. Everton Rodrigues BASTOS (da escola de 2008) foi alvejado na cabeça e faleceu no local. Tiago José Fernandes (da escola de 2006), que estava na posição de patrulheiro (lado direito) foi alvejado no tóxar, pelo lado esquerdo, entre uma aba e outra do colete. Pelas informações disponíveis, o disparo ou os disparos foram contra o Sd Bastos, mas que acabou sobrando também para o Sd Fernandes. Fernandes conseguiu sacar e desferiu tiros contra os agressores (assassinos), mas estes fugiram.

O Sd Fernandes é de São José, e a família, esposa, mãe, o tio, Sd Damião, o sogro e amigos estavam e continuam no local. Fernandes está em observação, mas passa bem. Perdeu bastante sangue, mas por enquanto não é caso de cirurgia. Está consciente, e ainda há pouco pode ser "visitado" pela esposa epela mãe.

Já o Companheiro Bastos, encontra-se no IML de Balneário Camboriú. O Bitencourt levantou as informações por lá. Bastos é casado, tem dois filhos e mora em Rio Negro, no Paraná (ao lado de Mafra). Em contato com o pai, ainda não está definido o local de velório e enterro. ficou de informar quando houver uma decisão. Peço ao companheiro Bita que informe aqui quando houver maiores informações.

Muitas guarnições, da Grande Fpolis e de outras cidades foram para Tijucas, procurar os assassinos. Pelas informações das circunstâncias, imagino (e espero) que antes de 24 horas estarão identificados e localizados.

Mais uma situação lamentável. Um pai de família, um trabalhador da segurança pública, assassinado de forma vil e covarde por um qualquer. É preciso que se tome mais cuidado, primeiro da própria vida!

Nosso pesar e nossa revolta pela fragilidade da nossa condição de trabalho! Mais um combatente caído...

HONRA E GLÓRIA AO SOLDADO BASTOS!!!

Nota do Blog:

Os praças estão de luto! Mais um irmão tombado em combate, na luta pela segurança pública. Policiais estão organizando forças-tarefa para vingar a morte do Sd Bastos. A sede por vingança se alastrou pela PM e só cessará com a morte desses criminosos.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Governo LHS e a política dos abonos

0 comentários

Governo LHS e a política dos abonos

Neste governo LHS, que findou (graças a DEUS) mês passado, percebe-se a claramente qual foi o objetivo principal: enganar a população e os servidores públicos estaduais, manipulando dados e concedendo abonos discriminatórios e que, por inúmeras vezes, chegam a ofender a dignidade humana.

Essa situação é igualitária para toda a base do serviço público, mas iremos aqui utilizar como exemplo o soldo (salário) de um soldado da PM ou Bombeiro, em início de carreira, no Estado de Santa Catarina.

Soldo

Abonos

R$ 938,00

R$ 100,00

R$ 490,00

R$ 250,00

R$ 100,00

Total

Total

R$ 938,00

R$ 940,00

Na tabela acima verifica-se que o soldo de um policial é inferior a soma de todos os abonos. Porém, o governo insiste em divulgar a política de abonos como um aumento salarial, mas este mesmo governo sabe que nenhuma vantagem ou gratificação incide sobre estes.

Os policiais estão cansados de serem humilhados pelo governo, sentem-se ultrajados e têm sua motivação jogada na lata de lixo, por este governo fascista, que termina de forma trágica para os servidores públicos.

Para piorar a situação, o governador Leonel Pavan, que toma as rédeas do governo, parece querer continuar com essa palhaçada, aplicando novamente a política de abonos, mas dessa vez de forma descarada, desigual, rachando todas as áreas do serviço público.

Temos a segurança, saúde e educação em pé de guerra com este governo ditatorial, que pensa somente no seu umbigo, gratificando aqueles que vivem agarrados nas tetas do governo e, certamente, buscando cabos eleitorais para as eleições que se aproximam.

Que venha Outubro, que venham as Eleições 2010, pois o funcionalismo público quer dar a resposta para estes porcos que se fingem de políticos!

terça-feira, 6 de abril de 2010

COMENTÁRIOS ACERCA DAS NOTAS ABAIXO, VINCULADAS NA MÍDIA

0 comentários
Primeiro: É preciso dizer que a despeito dos números serem, em tese pequenos a sensação de insegurança é perceptível, basta que nossos "gestores" se dignem a falar e ouvir a população que constatarão "in loco" tal sentimento.

Segundo: Confiar nos números da SSP-SC é pedir demais. Uma secretaria que teve sua sede arrombada não tem a menor condição de tentar fazer com que a sociedade acredite em seus dados e números, ademais, sabemos que o objetivo central do ex-secretário e de seus subalternos diretos não era e nunca foi idealizar uma política de segurança pública, mas sim uma eleição para Deputado Federal (dele) e outras para Deputados Estaduais (de outros) e que portanto partindo desta lógica alguns munícipios foram mais beneficiados que outros e alguns dados podem ter sido omitidos ou distorcidos, do contrário porque não cumprir a lei e divulgar as estatísticas da criminalidade no prazo determinado pela referida lei.

Terceiro: A falta de efetivo nas instituições de segurança pública é um dado estarrecedor e agora a mídia começa a perceber isso. Aliás, os sindicatos, associações e os próprios policiais vem denunciando isso a muito tempo, no entanto, por fatores que fogem a compreênção destes, tais constatações nunca foram levados em consideração. A Policia Militar tem o mesmo efetivo da década de 80, por outro lado a população de SC, no mesmo período praticamente dobrou. Por outro lado, a criação desenfreada de batalhões pelo Estado afora, com um discurso hipócrita e enganador de que com isso os problemas seriam resolvidos teve e tem efeito oposto ao divulgado, senão vejamos: Com a criação destes batalhões, fez-se necessário criar toda uma estrutura burocrática para que o dito funcionasse a contento e para que isso ocorresse há a necessidade de se retirar policiais das ruas prejudicando sobremaneira a função primeira da Policia Militar, qual seja o policiamento ostensivo. A criação de batalhões tem um único objetivo, oxigenar as promoções das cúpulas, pois com os novos batalhões foram criados novos cargos de comandantes, sub-comandantes e assim por diante, cargos estes ocupados pelos oficiais que diga-se de passagem nunca foram tão aquinhoados em termos de promoções na história da PM. Mas e a sociedade e a sua segurança pública, como ficam? Bom, isso é apenas um pequeno detalhe, afinal o que vale mesmo são as promoções,e com estas o status, o salário e uma aposentadoria muito interessante.

Quarto: Segundo o jornalista Moacir Pereira, no caso de Blumenau, o ex secretário, afirma que "...que no Vale do Itajaí está havendo desvio das viaturas e de função dos militares, destacados para missões especiais de investigação, sempre à paisana". Baseado nesta afirmação, me surge uma pergunta: Porque o secretário não exonerou o Comandante do Batalhão e não coibiu os desvios que ele afirma existirem? A resposta que me parece mais óbvia é que de fato, não tínhamos um secretário de segurança pública, mas sim um político e um político por demais fraco, pois nem alavancar recursos e condições, junto ao governador ele conseguiu.

Quinto: Resta-no a esperança de que a partir destas constatações (as quais já temos denunciado a muito), tanto a mídia, como a sociedade e o atual Governador ouçam as bases do sistema e junto com todos idealizem uma política de segurança pública que não seja aquela focada em projetos pessoais ou ainda em lógicas interesseiras (no caso aqui, egoístas a ponto de idealizarem projetos vislumbrando apenas os ganhos salariais exorbitantes e injustos). Lamentavelmente, as primeiras atitudes do atual Governador nos levam a crer que isso não ocorrerá e que continuaremos com a lógica do "mais do mesmo", ou seja, a despeito de todo um clamor das bases das instituições e da sociedade para serem ouvidas, o atual Governador opta por manter as mesmas injustiças que tiveram e tem como resultados a verdadeira bagunça que se encontra a segurança pública de Santa Catarina.

SC: E A (IN) SEGURANÇA PÚBLICA

0 comentários
6 de abril de 2010
MOACIR PEREIRA

SC: e a segurança?

O Mapa Nacional da Violência, divulgado há uma semana, indicou que Santa Catarina tem a menor taxa de homicídios por grupo de 100 mil habitantes. É um dado para ser comemorado. E, no entanto, a população sente-se cada vez mais insegura. Como explicar este fenômeno?

As autoridades têm várias leituras para esta sensação de insegurança que predomina em várias cidades do Estado. A primeira está na redução ou inexistência de policiamento ostensivo. O caso mais grave acontece em Blumenau. Ali, o cenário é dramático, com assaltos, roubos e homicídios, que aumentam a intranquilidade da população. Apelos veementes foram feitos ao ex-governador Luiz Henrique. Ele prometeu, reiteradas vezes, aumentar o efetivo policial militar e adquirir novas viaturas. A população do Vale do Itajaí não viu nem uma coisa nem outra. O ex-secretário Ronaldo Benedet justificou-se, dizendo que não teve os recursos financeiros para nomear mais policiais para a região. E transferiu para a prefeitura a responsabilidade pela compra de veículos policiais. Debita, também, ao comando do Batalhão em Blumenau a falta de policiais militares nas ruas da cidade. E cita o Batalhão de Criciúma, onde ninguém se queixa da falta de policiamento ostensivo. Os adversários afirmam que no Sul não falta nada por ser a base eleitoral do deputado Benedet. O ex-secretário faz o contraponto, dizendo que no Vale do Itajaí está havendo desvio das viaturas e de função dos militares, destacados para missões especiais de investigação, sempre à paisana.

Blumenau tem um dado estarrecedor que permanece sem solução: a população aumentou, os problemas se multiplicaram, mas o efetivo da Polícia Militar foi reduzido. Falta de polícia na rua, espaço para bandido agir com mais liberdade.

Em Florianópolis, um registro emblemático aconteceu na Páscoa, envolvendo Lurian Silva, a filha do presidente Lula. Mesmo protegida pela segurança da Presidência da República, seu apartamento foi arrombado. E virou notícia nacional.

http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2863173.xml&template=3916.dwt&edition=14440§ion=134

MENOS POLICIAIS - A mídia começa a desnudar os fatos sobre a segurança pública

0 comentários
MENOS POLICIAIS

Assim como a Polícia Civil, a Polícia Militar também perde efetivo em Joinville. No mês passado, o delegado regional Dirceu Silveira Júnior pediu empenho de autoridades políticas e empresariais para que a cidade receba o maior número de policiais civis de turma de recém-formados. A cidade foi contemplada com 21 policiais, incluindo seis delegados. Ainda assim, faltam em torno de 60 policiais para a região de Joinville. No 8º Batalhão de Polícia Militar de Joinville, já chegaram a estar lotados quase mil homens, anos atrás.

Mas foram criados batalhões e o Copom virou unidade autônoma. O ponto de corte é 2007, quando o 8º BPM contava com 467. Menos de três anos depois, em vez de o efetivo crescer, caiu. Hoje, são 417 PMs.

Maior demanda por gente

O comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar, Edivar Bedin, diz que não adianta ter 10 mil homens se não houver planejamento na distribuição e atuação dos PMs. Os policiais ficariam perdidos. Ainda assim, mesmo que sejam adotados procedimentos mais eficientes, com ênfase no planejamento, comunicação e mobilidade e apoio de equipamentos eletrônicos, de softwares a câmaras, precisa de mais gente. Afinal, com o crescimento da cidade, a demanda por segurança cresce junto.

http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2863278.xml&template=4191.dwt&edition=14441§ion=941

Terra sem lei!

0 comentários
Neste exato momento fomos informados de que a área continental de Florianópolis encontra-se sem viaturas para atendimento de ocorrência, haja vista as duas guarnições existentes estarem em atendimento de ocorrência (flagrante delito) na Central de Polícia. Desta maneira, a guarnição do PPT (Pelotão de Patrulhamento Tático) deixará de cumprir sua missão, que é a de prestar apoio em ocorrências de grande vulto, sobrecarregando esta.

Essa é a realidade da segurança pública em Santa Catarina, reflexo do descaso da tríplice aliança: Governador LHS, secretário Ronaldo Benedet e Coronel Eliésio Rodrigues (comandante geral da PMSC).

Quem paga esse mico? A população catarinense! Injustamente é claro.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Apartamento da filha do presidente Lula é invadido em Florianópolis

0 comentários
Primeiro foi a casa do Cmt Geral, depois o prédio da Secretária de Segurança pública de Santa Catarina, agora é a casa da filha do Presidente da República. Enquanto isso, nossos idealizadores de estratégias para conter a criminalidade estão preocupados, não com seus subordinados ou com a sociedade e sua (in)segurança, mas sim em encher os bolsos de abonos, pós-graduações, promoções e diárias. Até quando isso continuará ocorrendo?


"Apartamento da filha do presidente Lula é invadido em Florianópolis
Foram roubados computador e outros objetos pessoais, segundo a PM.

Lurian estava em casa sozinha, mas não se encontrou com os bandidos.

Foi invadido na noite de sexta-feira (2) o apartamento de Lurian Silva, filha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Florianópolis, informou neste domingo (4) a Polícia Militar.

Na invasão ao imóvel, foram roubados um notebook, um console de videogame e outros objetos pessoais pequenos.

A notícia foi divulgada neste domingo pelo blog Visor, do jornal "Diário Catarinense", e confirmada pela Polícia Militar de Florianópolis ao G1.

Segundo a PM, não se sabe quantas pessoas participaram da invasão.
A Polícia Civil de Santa Catarina, responsável pela investigação, disse ao G1 que não divulgará qualquer detalhe sobre o roubo, por se tratar de uma investigação sigilosa.

De acordo com o blog Visor, o apartamento foi invadido por volta das 20h30 da sexta. Lurian, de acordo com a publicação, estava sozinha em casa fazendo exercícios e não percebeu o arrombamento.

Já de acordo com a Polícia Militar, que chegou ao local da ocorrência quando a Polícia Civil já cuidava do caso, por volta das 23h, Lurian teria percebido a invasão e trancou-se no quarto. "Ela ouviu barulhos e se trancou no quarto", afirmou o Capitão Lázaro, do centro de emergência da PM, ao G1.

Saiba mais

“Não estou aqui só porque sou filha do Lula', diz secretária Lurian”.

Os dois netos do presidente, de 5 e 12 anos, não se encontravam no apartamento, porque tinham viajado para São Paulo por conta do feriado da Semana Santa.

Segundo o blog, o apartamento de Lurian fica no bairro Itaguaçu, região continental de Florianópolis.

No sábado à tarde, técnicos do Instituto Geral de Perícia da Polícia Civil estiveram no local para colher pistas, segundo o blog.

Fonte - G1

FALTA DE EFETIVO NA PM É VÍSIVEL

1 comentários
Farra do boi e falta de efetivo das polícias marcam o feriadão em Governador Celso Ramos

Posto da PM contou com apenas dois soldados e uma viatura para conter os farristas.

Começou na quinta-feira à noite, atravessou a Sexta-feira Santa, o Sábado de Aleluia e chegou até o começo da noite do domingo de Páscoa. A farra do boi foi ininterrupta no feriadão em Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis.

Os farristas não escolhiam lugar e diversas vezes passaram perto da delegacia e do posto da Polícia Militar (PM).

De acordo com os plantonistas da delegacia, havia cerca de mil pessoas a pé e outras 200 em motos, correndo dos bois. Era comum ver homens sem capacete e embriagados em cada veículo.

O destino era sempre o mesmo: o final da Praia de Ganchos. Os policiais civis admitiram que em nenhum momento os farristas foram incomodados.

No posto da PM na cidade, a descrição do feriadão foi a mesma. Os policiais militares contaram que houve farra do boi constantemente e nenhuma providência foi tomada.

Falta de efetivo

Eles justificaram que estavam em dois homens e contavam somente com uma viatura. Argumentaram que, para das conta de mil pessoas, é preciso reforço externo de outras cidades, mas que isto depende do comando da corporação.
Sobre a presença dos bois em Governador Celso Ramos, os policiais militares e civis explicaram que os animais entraram na cidade antes das barreiras montadas na quarta-feira. Os plantonistas relataram que pelo menos 20 bois foram vistos pelas ruas da cidade.

Uma entrevista coletiva foi marcada para a tarde desta segunda-feira na sede da Polícia Militar, em Florianópolis, para tratar do assunto. O Centro de Operação da PM adiantou que no encontro será apresentado um balanço das operações de combate à farra do boi.

DIÁRIO CATARINENSE



Coluna do jornalista Jeferson Saavedra - Jornal AN de 05/04/2010

Segurança

Pelo que se viu em reportagem de “AN” na semana passada, a Polícia Civil vai no mesmo caminho da PM: cria estrutura sem contar com pessoal correspondente. Mas passa a ideia de estar investindo. Não há policiais civis para atender nas três novas delegacias de Joinville.

Sem efetivo
A criação do segundo batalhão em Joinville e do batalhão em São Francisco do Sul, ambos da PM, significaram mais PMs nas duas cidades? Não. Os batalhões foram montados com remanejamentos.

domingo, 28 de março de 2010

Corpo é encontrado embaixo da alça de acesso ao túnel Antonieta de Barros em Florianópolis

1 comentários
Vítima é um homem negro, e corpo apresenta sinais de violência

O corpo de um homem ainda não identificado foi encontrado por volta das 20h desta sexta-feira embaixo da alça de acesso ao túnel Antonieta de Barros, que dá acesso ao Sul da Ilha de Santa Catarina, em Florianópolis. De acordo com a Polícia Militar (PM), ainda não foi possível apurar a causa da morte, mas há sinais de violência.

A vítima é negra e deve ser encaminhada para o Instituto Médico Legal (IML) assim que a polícia terminar os procedimentos no local. Conforme a PM a área onde o corpo foi encontrado é comumente utilizada por usuários de crack.
Fonte: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&section=Geral&newsID=a2853104.xml

quinta-feira, 25 de março de 2010

O preço de uma vida: Soldado X coronel

8 comentários


Esse é o verdadeiro salário de um soldado da Polícia Militar. Sem a maquiagem que o governo Estadual aplica, repassando mentiras para a população. Se retirarmos o valor correspondente a empréstimo, temos exatos R$1371,82.


Desafio qualquer coronel a postar aqui seu contra-cheque. Duvido que apareça valor 10 vezes menor que este acima citado!


Senhores, se o estado trata assim os policiais que fazer a segurança da sociedade catarinense, qual será o reflexo deste para a sociedade?


Qual o preço da sua vida caro leitor? Não tem preço não é mesmo?!? A de um policial militar está aí estampada.


Justiça Salarial, para um bom atendimento ao povo catarinense!

Disparidade Salarial: PMBA (Bahia) e PMSE (Sergipe)

3 comentários

Nota do Blog
Uma coisa não consigo entender: Se lá no nordeste, que é tido como uma região pobre, temos um salário se não digno, mas ao menos satisfatório, como é o caso de Sergipe, porque aqui em Santa Catarina é diferente, tal qual na Bahia? Será por incompetência dos governadores ou uma afronta aos servidores públicos? Acho que no caso de SC, podemos ficar com as duas opções, e elencar mais uma lista com 100 itens.

Homem é assassinado na comunidade Chico Mendes em Florianópolis

0 comentários
Pelo menos um dos disparos atingiu a cabeça da vítima
Um homem identificado por moradores como Adriano Gomes foi assassinado na noite desta terça-feira na comunidade Chico Mendes, área continental de Florianópolis. Populares ouviram algumas disparos por volta das 22h e pelo menos um deles atingiu a cabeça da vítima.

O crime teria acontecido na esquina das ruas Elesbão Pinto da Luz com a Josué de Bernardi. De acordo com a polícia, o caroneiro de uma motocicleta seria o autor dos disparos.

A vítima carregava cinco pedras de crack, um cachimbo e um isqueiro, por isso o crime pode ter relação com o tráfico de drogas. Adriano não portava documentos e, segundo moradores, não tinha emprego fixo.
Fonte: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18§ion=Geral&newsID=a2849666.xml

Nota do blog: Este site já havia avisado anteriormente o aumento do número de homicídios, devido a guerra no tráfico entre traficantes na comunidade Chico Mendes. http://sos-seguranca.blogspot.com/2010/03/declarada-guerraentra-gangues-na-chico.html

Casal é flagrado com 100 quilos de maconha na BR-101 em Porto Belo

0 comentários
Polícia descobriu carregamento da droga depois de receber denúncia anônima
Um casal foi flagrado com aproximadamente 100 quilos de maconha em um carro abordado por policiais militares na BR-101 em Porto Belo, no Litoral Norte de Santa Catarina, por volta das 23h30min dessa terça-feira.

A droga estava escondida sob o forro das portas e bancos e para-choques do veículo, um Gol com placas de Boa Vista do Incra (RS).

O entorpecente foi descoberto depois que militares de Biguaçu receberam denúncia anônima que informava que o automóvel dos suspeitos estaria trazendo um carregamento de maconha vindo do Mato Grosso do Sul.

Os suspeitos foram abordados às margens da rodovia e trazidos, com o carro, para o batalhão da PM em Biguaçu.

O casal, um homem de 41 anos e uma mulher de 47 anos, foi preso em flagrante e encaminhado à delegacia de polícia. Ambos residem em Biguaçu e já têm passagens criminais, de acordo com a Polícia Militar (PM).

Segundo o delegado Valter Rodrigues, a droga seria entregue para uma terceira pessoa, ainda não identificada.

Mais droga

Esta foi a segunda grande apreensão de maconha na BR-101 em uma semana. No dia 18, outro casal, um homem de 27 anos, e uma mulher de 21, foi preso transportando 100 quilos da droga num automóvel Santana, também na BR-101, em Biguaçu.

Os suspeitos estavam acompanhados do filho, de um ano de idade. A polícia fez a apreensão depois de receber uma denúncia anônima.
Fonte: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18§ion=Geral&newsID=a2849840.xml